Análise: ReadySet Heroes

0

 

ReadySet Heroes é o novo dungeon crawler do estúdio Robot Entertainment, responsável pela criação de Orcs Must Die!. O jogo é publicado pela Sony Interactive Entertainment, mas, apesar disso, não é um exclusivo PS4, estando o seu lançamento planeado para PC, na Epic Games Store. Foi lançado para a PlayStation 4 no passado dia 1 de outubro.

ReadySet Heroes não é certamente mais um AAA a juntar-se a todos os outros que têm saído nesta reta final de 2019. É um jogo que custa cerca de 20 euros na PlayStation Store, o que de imediato ajuda a adequar expetativas.

ReadySet Heroes

ReadySet Heroes

Ao iniciar o jogo, de imediato notei tratar-se de um joguito cheio de charme. Os gráficos são coloridos e agradáveis, e a música dá de imediato uma enorme sensação de aventura. ReadySet Heroes é fundamentalmente um jogo simples: existem apenas dois modos de jogo, Crawl N’ Brawl e Tower Crawl.

Crawl N’ Brawl

O primeiro é uma prova de tempo limitada que mistura PvE com PvP, e pode ser jogada localmente com amigos, ou online. Não é possível jogar sozinho, uma vez que este modo de jogo está feito para acomodar entre 2 a 4 jogadores. Aqui, os jogadores começam por competir separadamente, cada um na sua própria dungeon crawl, com o objetivo de ‘limpar’ o maior número possível de masmorras antes do tempo terminar. Quantas mais masmorras o jogador conseguir ‘limpar’, melhor equipado irá ficar, dado que no final de cada masmorra completa irá receber um baú com equipamento cada vez mais raro e poderoso. Ao mesmo tempo, os monstros presentes em cada masmorra, uma vez derrotados, deixam cair cristais que vão melhorando as estatísticas do nosso herói.

Para passar cada masmorra, escolhida aleatoriamente de entre cerca de 50 opções possíveis, é exigido ao jogador que, para além de derrotar monstros, ultrapasse obstáculos e resolva quebra-cabeças. Aqui vão colecionar equipamentos que serão úteis na fase seguinte. Após terminar o tempo, os jogadores são postos à prova numa competição PvP, onde testam as suas habilidades de combate uns contra os outros. É por isto que, inicialmente disse que este modo era uma mistura de PvE com PvP. Em primeiro lugar dá-se uma corrida frenética para tentar terminar o maior número de salas/masmorras possíveis, potenciando a probabilidade de encontrar equipamentos mais poderosos, a que se sucede um combate até à morte entre 2 a 4 lutadores.

Apesar de ter falado numa corrida frenética durante a primeira parte deste modo, na verdade o sistema de loot permite diferentes estilos de jogo: quem quiser o melhor equipamento absoluto tenta realmente limpar o maior número possível de salas durante o período de tempo limitado; contudo, quem preferir ficar um pouco mais tempo em cada masmorra a matar todos os inimigos e partir todos os barris, pode fazê-lo, dado que isso permite melhorar as estatísticas do personagem através da obtenção de cristais. A escolha é sempre do jogador.

No fundo, Crawl N’ Brawl é um modo de jogo divertido, especialmente se jogado com amigos que também tenham o jogo. Nas minhas tentativas de encontrar uma partida online para 2-4 jogadores, não só o matchmaking demora imenso tempo, possivelmente porque a base de jogadores não é muito grande, como nem sequer é certo que consiga jogar com outros três jogadores. Na maior parte das vezes, o jogo não conseguiu encontrar quatro jogadores e acabei por competir apenas com um adversário. Mesmo que considerasse este modo divertido, a ausência de amigos com quem jogar, devido a um matchmaking insuficiente/deficiente, ou a uma população online reduzida, acaba por retirar peso à experiência de jogo, que passa a ser menos competitiva e menos emocionante.

Tal seria de esperar num título multijogador com meses ou anos de existência, onde a população do jogo começa a reduzir à medida que este deixa de ser novidade. Contudo, ReadySet Heroes acabou de sair. A falta de jogadores que permita um matchmaking suave e instantâneo é um pouco preocupante. É possível que, para um título mais modesto, isto seja um problema normal, contudo, acaba por bloquear grande parte do jogo.

Tower Crawl

Felizmente, ReadySet Heroes inclui um modo de jogo offline, que se pode jogar sozinho (ou localmente com mais uma pessoa). É o modo de Tower Crawl, onde o objetivo é completar 30 masmorras, incluindo quatro bosses. Aqui, já não há limite de tempo, mas há um limite de vidas que, uma vez ultrapassado, faz com que se perca o progresso até então. Se o jogador morrer mais do que três vezes, perde, o que ajuda a tornar tudo um pouco mais emocionante. Eu gostei especialmente deste modo porque posso ocupar o tempo a ‘limpar’ cada sala, derrotar os monstros, resolver os quebra-cabeças… Sou daqueles jogadores que gosta de explorar cada canto, descobrir cada segredo, e fundamentalmente jogar ao meu próprio ritmo, algo que o modo de tempo limitado Crawl N’ Brawl não permite.

Jogabilidade

ReadySet Heroes é basicamente isto: dois modos! Não quero parecer que se deva esperar muito mais de um título de 20 euros, contudo, achei este jogo realmente fraco em conteúdo. Existem apenas estes dois modos que, de facto, são bastante limitados na sua implementação, por uma razão principal: falta de progresso. Se é verdade que tanto em Crawl N’ Brawl como em Tower Crawl nos sentimos a progredir ao longo do próprio modo de jogo, fora deste, ReadySet Heroes não oferece praticamente nada em termos de evolução de herói. Jogando frequentemente, é possível desbloquear quatro novas personagens que, contudo, são virtualmente idênticas às personagens iniciais, não havendo mudanças significativas. Para além disto, é possível ir desbloqueando uma tabela de desafios. De resto, em termos de oferecer um sentido de progressão ao jogador, não existe nada daquilo que estamos habituados a ver num jogo deste género (dungeon crawler), cuja jogabilidade-base costuma basear-se em lutar/passar masmorras para aceder a melhor equipamento/loot e assim ter um verdadeiro sentimento de progressão ao estilo RPG. Nada disso está aqui presente, uma vez que não há sistema de níveis, e nenhum equipamento desbloqueado é trazido para fora dos modos de jogo. Cada nova partida é um verdadeiro recomeço. Os personagens nunca melhoram, tão pouco o equipamento que eles levam para uma nova partida, que se resumem a uma espada de madeira e às mesmas roupas andrajosas de sempre.

É, de facto, uma pena, porque a jogabilidade-base em si é divertida. As animações estão bem conseguidas, o combate, apesar de simples, é divertido e satisfatório, havendo diferentes armas, como espadas ou machados, ou feitiços que permitem mandar bombas ou ataques em forma de furacão contra os inimigos, o que ajuda a tornar o combate um pouco mais variado.

O jogo em si possui bastante charme, mas é extremamente leve em conteúdo. Não só pela existência de apenas dois modos bastante limitados na sua essência, ainda para mais na ausência de um sistema de verdadeira progressão, como também a variedade de masmorras deixa muito a desejar. Pelo que pesquisei, existem 50 modelos de masmorra que se vão repetindo aleatoriamente à medida que vamos jogando. Na minha opinião, são poucos, dado que em diferentes partidas cheguei mesmo a encontrar masmorras idênticas a anteriores que já tinha atravessado.

Também os personagens em si parecem demasiado idênticos uns aos outros. Gostaria de ter visto uma maior diferenciação por classes, em que cada personagem tivesse um papel mais específico. Para além disto, a customização cosmética dos personagens também não apresenta grande variedade.

Veredito

ReadySet Heroes é um indie com alma grande, mas de execução insuficiente. Infelizmente, uma jogabilidade-base e combate divertidos, música cativante, gráficos coloridos e animações competentes, não chegam para compensar a extrema falta de conteúdo neste título. A ausência de uma verdadeira progressão, e a falta de variedade nos cenários/masmorras, tornam a experiência um pouco pobre. Este é um título que adequa-se ao jogador casual, tornando-se uma boa solução para ocupar um serão divertido em família.

Esta análise foi baseada numa versão para PlayStation 4.

Para enviar uma sugestão, tens de fazer ou .
Positivo
Combate impactante e satisfatório.
Banda sonora cativante dá vontade de partir para a aventura.
Bons gráficos para um título deste género, e excelentes animações que dão vida a cada movimento.
Negativo
Pobre em quantidade e variedade de conteúdo (apenas dois modos de jogo algo limitados).
Falta de verdadeiro sentido de progressão típico de um dungeon crawler.
Masmorras repetitivas.
6
Razoável

Comentários

Ainda sem comentários!

avatar
2000